Calendário para ver os principais filmes indicados ao Oscar 2020 antes da cerimônia

Agenda Cultural

Falta pouco menos de um mês para a cerimônia de entrega do Oscar 2020, que acontecerá em 9 de fevereiro. Não são poucos os filmes indicados nas 24 categorias da premiação, mas, por sorte, grande parte deles está em cartaz nos cinemas brasileiros ou pode ser vista em diversas plataformas de streaming.

Para ajudar a quem ainda não assistiu a nada —ou a quase nada—, o EL PAÍS fez uma proposta de programação, dia a dia, dos filmes indicados nas principais categorias. Neste calendário, foram escolhidas obras que disputam a estatueta de Melhor Filme, Melhor Atriz, Melhor Ator, Filme internacional, Efeitos Visuais e Animação —além de Documentário, em que o Brasil é representado com Democracia em vertigem. O longa de Petra Costa pode ser assistido na Netflix, assim como Indústria americana, seu forte concorrente.

A programação sugerida combina ao longo da semana os filmes que têm de ser vistos no cinema e outros que podem ser vistos em casa, assim como diferentes gêneros. Começa com Coringa, o campeão de indicações (11 categorias, incluindo a de Melhor Filme), que, apesar de ter entrado em cartaz em outubro, ainda está em exibição em alguns cinemas —e também em plataformas online; e termina Era uma vez em… Hollywood, que não pode mais ser visto na tela grande (sua estreia foi em agosto), mas pode ser comprado ou alugado.

O calendário inclui filmes que estão por estrear, como o esperado 1917, indicado a 10 categorias e que chega aos cinemas em 23 de janeiro; e Jojo Rabitt, que também está na corrida pelo prêmio de Melhor Filme e estreia em 6 de fevereiro.

Para quem não consegue seguir toda a lista, Iván Morais, diretor editorial da revista especializada Cinema Premiere, tem uma sugestão: “Para estar em dia para o Oscar, eu recomendaria ver os nove indicados a Melhor filme, pois entre todos eles encontraremos a maioria dos indicados em outras categorias”, afirma.

Como ver os indicados a Melhor filme

1. Parasita. Indicado a Melhor Filme, Direção (Bong Joon Ho), Filme internacional, Roteiro original, Direção de Arte e Montagem. Pode ser visto nos cinemas.

2. 1917. Indicado a Melhor Filme, Direção (Sam Mendes), Trilha sonora, Edição de som, Mixagem de som, Fotografia, Roteiro original, Direção de arte, Efeitos visuais e Maquiagem. Estreia no dia 23 de janeiro nos cinemas.

3. História de um casamento. Indicado a Melhor Filme, Atriz (Scarlett Johansson), Ator (Adam Driver), Atriz coadjuvante (Laura Dern), Trilha sonora e Roteiro original. Está disponível na Netflix.

4. Ford vs. Ferrari. Indicado a Melhor Filme, Edição de som, Mixagem de som e Montagem. Saiu de cartaz nos principais cinemas e ainda não está nas plataformas de streaming.

5. Jojo Rabbit. Indicado a Melhor Filme, Atriz coadjuvante (Scarlett Johansson), Figurino, Roteiro adaptado, Direção de arte e Montagem. Estreia nos cinemas em 6 de fevereiro.

6. Coringa. Campeão de indicações neste ano, concorre a Melhor Filme, Ator (Joaquin Phoenix), Direção (Todd Phillips), Figurino, Trilha sonora, Edição de som, Mixagem de som, Fotografia, Roteiro adaptado, Maquiagem, Fotografia e Montagem. Continua em cartaz nos cinemas e está disponível em plataformas de streaming (Google Play, Youtube, Now, iTunes e Looke).

7. O Irlandês. Indicado nas categorias de Melhor Filme, Direção (Martin Scorsese), Ator coadjuvante (Ao Pacino e Joe Pesci), Figurino, Fotografia (Rodrigo Prieto), Roteiro adaptado, Direção de arte, Efeitos visuais e Montagem. Está disponível na Netflix.

8. Era uma vez em… Hollywood. Concorre a Melhor Filme, Ator (Leonardo DiCaprio), Direção (Quentin Tarantino), Ator coadjuvante (Brad Pitt), Figurino, Edição de som, Mixagem de som, Fotografia, Roteiro original (Quentin Tarantino) e Direção de arte. Saiu de cartaz nos principais cinemas, mas pode ser visto nas plataformas Google Play, iTunes, Looke, Now e Youtube.

9. Adoráveis mulheres. Indicado a Melhor Filme, Atriz coadjuvante (Florence Pugh), Figurino, Trilha sonora e Roteiro adaptado. Está em cartaz nos cinemas.

Fonte: EL PAIS