PRA VOCÊ QUE NÃO VAI A VELÓRIOS

Psicologia da vida

A morte é inevitável. E enquanto não chegar a nossa vez, as mortes que acontecem perto de nós podem nos dar grandes ensinamentos sobre a vida.

E eu vim dividir com você algo que tenho observado.

Quando um amigo nosso perde alguém da família, ele experimenta o momento mais difícil da vida. Além do profundo sofrimento pela perda, ele precisa lidar com as burocracias do hospital, funerária e cemitério, e ainda tem que lembrar de avisar os parentes e amigos sobre os horários do velório, cortejo e enterro.

E é bem ali, no momento de maior dor, que muitos de nós deixam aquele amigo sozinho.

Cadê os amigos da facul? Sumiram.

Cadê os “irmãos” da igreja? Ninguém apareceu.

E os colegas de trabalho, que pareciam tão legais? Pois é.

E as desculpas pra isso são as piores possíveis.

“Eu quero guardar a imagem dele vivo e feliz, como ele sempre foi.”

“Não sei nem o que falar nessa hora, melhor não ir.”

“Agora já morreu, não tem mais o que fazer.”

“Eu não gosto de velório, tenho medo de defunto.”

“Acho que a família não deve querer muita gente por perto.”

E ainda tem quem culpe a COVID – mas “Deus tá vendo” você aglomerando todos os dias por aí e usando a COVID como desculpa quando você não quer ir em algum lugar.

Sabe o que todas essas frases têm em comum? Elas são puro EGOÍSMO.

Você não é obrigado a ir a um velório, é lógico, principalmente se aquela pessoa não faz parte do seu círculo de amizade ou convivência. Mas se você REALMENTE SE IMPORTA com aquele amigo, esse sentimento precisa se transformar em uma ação. Você precisa estar lá, porque é naquele dia – exatamente naquele dia! – que seu amigo precisa ver você por perto.

Apenas esteja lá.

Você nem precisa chegar perto do caixão, se não quiser. Mas dê um abraço no seu amigo e diga: “Eu sinto muito. Estou aqui pro que você precisar que eu faça”.

Se você realmente não puder estar presente, ajude com dinheiro (pois os custos são altos) ou compre uma coroa de flores e mande entregar no local do velório. Ou peça pra algum parente seu ir até lá e te representar. Se você conhece a família, mas não conhecia a pessoa que morreu, vá mesmo assim. Vá pelos que estão VIVOS, porque o sofrimento é deles.

Tudo o que estou te dizendo aqui é: demonstre que você se importa.

Pra família enlutada, um velório cheio significa que aquela pessoa era importante. Que ela era amada e deixou sua marca na vida das pessoas.

Apenas esteja lá. Será que isso é tão difícil assim?

Você que não vai a velórios, comece a pensar sobre isso. A morte é inevitável e não adianta fingirmos que o nosso dia nunca vai chegar.

Um dia será você dentro daquele caixão.

E eu espero, sinceramente, que seus verdadeiros amigos estejam lá.

Naiane Michelin
Últimos posts por Naiane Michelin (exibir todos)

Deixe seu comentário

Você precisa estar logado no Facebook para comentar.