QUEM MATOU AS CRIANÇAS QUE MATAM?

Psicologia da vida

Garotos de 9, 11 e 13 anos matam um menininho de 5 anos de idade. O corpo dele foi encontrado no rio.

Um menino de 13 anos atira na mãe, no irmãozinho e no pai. Só o pai sobrevive, porém fica paraplégico.

Tudo isso aconteceu no último mês. Tudo isso e muito mais, certamente – porque nem todos os acontecimentos desse tipo chegam ao conhecimento da mídia.

Passou o tempo em que a gente se preocupava só com o mal que “estranhos” desconhecidos poderiam fazer. Agora, a morte pode chegar através de amigos do bairro ou de pessoas que moram com a gente.

E o pior de tudo: a morte pode chegar através de uma criança. Uma C-R-I-A-N-Ç-A.

Quando vejo situações como essas, sempre me pergunto onde será que temos errado. Podemos encontrar essa resposta analisando a nossa sociedade, cultura, situação socioeconômica… Mas não é essa a proposta aqui.

É muito confortável culparmos o que está fora, porque a gente se exclui do problema e da solução. Ficamos com a impressão de que não podemos fazer nada a respeito… E então tudo continua igual.


A minha proposta é para que nós olhemos PARA DENTRO. Para a nossa casa, a nossa família.  

O que pode ter faltado na educação desses meninos? Como o caráter deles foi construído? Alguém os ensinou sobre o valor da vida? Alguém lhes mostrou, na prática, o que significa cuidar das pessoas e ter um profundo respeito por elas? 

Será que aprenderam que a vida é repleta de frustrações e que a gente deve aprender a lidar com elas? Essas crianças receberam, por parte dos adultos, o amor e a segurança que precisavam para se desenvolver de forma saudável?

E quanto a você, que está lendo este texto? Como esses assuntos têm sido trabalhados na sua casa, enquanto você educa os seus filhos? O que você ensina com PALAVRAS é o mesmo que você demonstra com AÇÕES?

Se as nossas crianças estão aprendendo que matar alguém é a solução para seus problemas, é porque tem algo MUITO ERRADO com o que a gente anda fazendo com elas.

E o pensamento que me vem à mente é: talvez, uma criança que mata é uma criança que, antes disso, já foi assassinada por alguém.

“Ah Naiane, mas você tá colocando a culpa de tudo isso na família?”

A culpa, não: a responsabilidade. 

É no seio de uma família que uma criança é gerada, educada e preparada para a sociedade. A família é a BASE de sua construção. Precisamos, sim, nos responsabilizar pela criação de bons filhos para o mundo.

Se não nós, quem?

Naiane Michelin
Últimos posts por Naiane Michelin (exibir todos)

Deixe seu comentário

Você precisa estar logado no Facebook para comentar.