Obras da Estrada do Belmont em Porto Velho são iniciadas

Notícias

Segundo o DER, serão 10 quilômetros de pavimentação, sendo cinco de asfalto e os cinco restante com revestimento primário, encascalhamento

PORTO VELHO RO – Numa ação que vai dar caráter definitivo à obra da Estrada do Belmont, em Porto Velho, o Governo de Rondônia iniciou esta semana a execução dos serviços preliminares de cerca de quatro quilômetros de asfaltado, por meio do Departamento de Estradas de Rodagem, Infraestrutura e Serviços Públicos (DER).

De acordo com o engenheiro civil Diego Correa, coordenador de Operação e Fiscalização da autarquia, esta será uma das obras mais importantes do Estado sob o ponto de vista da qualidade e função econômico-social, eis que atende a uma das principais rotas da economia rondoniense, num bairro populoso da Capital e será executada com o que há de melhor em termos de material, durabilidade e segurança rodoviária.

Ele explicou que a obra objeto do contrato 0009.553.994/2019-09 é parte de um grande termo de acordo celebrado com o município de Porto Velho por meio do Convênio 007/PGM/2019, que prevê a execução dos serviços de 10 quilômetros de pavimentação, sendo cinco de asfalto e os cinco restante com revestimento primário, encascalhamento.

UMA OBRA PARA DURAR

Diego Correa falou com orgulho da obra, destacando a firme decisão do governador Marcos Rocha e do diretor-geral do DER, coronel Erasmo Meireles e Sá, em fazer uma obra de caráter definitivo. Ele informou que a obra está sendo executada com os cuidados e utilização de meios, equipamentos e material que se utiliza numa primeira abertura, de modo que ao final, depois de passar por todas as etapas, com limpeza lateral, remoção e material imprestável (lama e argila) da pista de rolamento, e execução dos serviços de base e sub-base, seja concluída com um revestimento asfáltico de nove centímetros.

Segundo ele, tudo isso está sendo executado a custo zero para o DER, visto que conta com as parcerias da prefeitura da Capital, que custeia os gastos com combustíveis, e com a Usina Hidrelétrica de Santo Antonio que fornece todo o material rochoso (pedra), num total de 16 mil m³, com o qual está sendo realizado todo o serviço de base da estrada num trecho de cerca de quatro quilômetros.

Correa disse, a propósito, que por essa parceria com a Usina de Santo Antonio, o Governo do Estado, além de executar uma obra de qualidade incontestável, com um greide (nível do aterro) de uma altura de 50 cm (meio metro), construído em pedra, está sendo beneficiado com um investimento de R$ 1,4 milhão, que é o custo do material rochoso que está sendo empregado no greide da pista de rolamento da Estrada do Belmont, na preparação para receber uma pavimentação asfáltica de nove centímetros de espessura, capaz de suportar o tráfego das carretas que por ela circulam.

O coordenador de Operação e Fiscalização do DER não soube precisar a data de entrega da obra, informando que depende das condições climáticas, mas que é intenção do Governo do Estado inaugurar este ano o trecho completo da obra de asfaltamento até o último porto da Estrada do Belmont, eliminando definitivamente todo o transtorno e dificuldade de tráfego da rodovia.

Secom RO

Deixe seu comentário

Você precisa estar logado no Facebook para comentar.