Planeta Vênus Foto: NASA/Divulgação

Missões para Vênus têm objetivos diferentes, diz engenheiro da Nasa

Ciência e Tecnologia

A Nasa recebeu quatro projetos para missões planetárias e vai analisar até abril de 2021 duas propostas com direção a Vênus, isso porque nessa semana cientistas anunciaram uma grande descoberta: encontraram o gás fosfina na atmosfera de Vênus, que é associado à vida.

De acordo com Bruno Sarli, engenheiro aeroespacial com foco em dinâmica de voo espacial e sistemas e atual engenheiro na Nasa, as duas missões com foco em Vênus possuem objetivos diferentes: “São duas missões muito legais. A maior delas é chamada Davinci+. É uma missão que tem um espectrômetro de massa, é isso que vamos usar para analisar a atmosfera e detectar gases como a fosfina. A outra missão é a chamada de Veritas. A principal missão dela é analisar a parte do solo de Vênus. Ela não está relacionada com a atmosfera, mas ela traz importantes informações sobre a evolução do planeta”. 

Quando questionado sobre a busca e retirada de possíveis amostras do planeta, o engenheiro da Nasa explicou que até o momento essas missões não possuem esse desafio: “Até o momento, nenhuma das missões planejam trazer alguma amostra de Vênus para a Terra. Teve um estudo grande de uma missão que fizemos para a Academia Nacional de Ciência Americana que essa sim é bem maior e tem uma missão com vários componentes, entre eles seria um balão que ficaria na atmosfera de Vênus por 60 dias analisando uma série de propriedades, inclusive com o espectrômetro de massa para achar a fosfina. Esse estudo ainda não está na fase de proposta, como as outras duas missões (a Verita e a Davinci+).”

Vênus não estava no radar dos cientistas que buscam indícios de vida em outros planetas do sistema solar, mas essa descoberta animou os pesquisadores, mesmo com características tão extremas, como comenta Sarli: “As missões para Vênus são bem particulares, porque é um planeta bem extremo, onde a pressão e a temperatura na superfície são muito grandes. E ele também tem uma atmosfera bem densa e dinâmica. É muito diferente, por exemplo, de Marte, que tem uma gravidade menor, uma atmosfera pequena. Dependendo do aspecto da missão, descobrir algo em Vênus pode ser mais complicado, porque pousar neste planeta é muito difícil”.

Sobre as descobertas dos últimos tempos, o engenheiro da Nasa destaca duas: “As mais significantes para mim são as missões que eu estou mais envolvido, por exemplo, teve um indício muito forte de que existia água líquida em Marte – isso ainda está sendo desenvolvido. Marte sempre foi um dos planetas que focamos mais, muito mais que Vênus, mas isso agora pode mudar com a descoberta da fosfina. Também temos outra missão de Marte, que visa trazer amostra do solo para identificar se realmente existiu ou existe vida macrobiótica em Marte.”

Deixe seu comentário

Você precisa estar logado no Facebook para comentar.