EAD vem ganhando espaço em tempos de Coronavírus

Educação

Em uma projeção da Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior (Abmes), em 2023, mais alunos se matricularão em cursos da modalidade de Educação a Distância do que nos presenciais. O aumento na procura por EAD é crescente, como aponta o Censo da Educação Superior, realizado pelo Inep/MEC. Segundo a pesquisa, em 2018 houve, pela primeira vez na série histórica, mais vagas ofertadas a distância (7,1 milhões) do que em cursos presenciais (6,3 milhões).

A tendência dessa procura pelo ensino a distância pode ser mais fortalecida por conta do momento de pandemia que o País enfrenta, com instituições de ensino e estudantes precisando se adaptar, às pressas, à Educação A Distância (EAD), desde que a portaria excepcional do Ministério da Educação (MEC) permitiu o ensino virtual, para não comprometer o cronograma escolar no período de isolamento social e quarentena do coronavírus.

No último dia 18 de março, o MEC publicou a Portaria nº 343, que autoriza “em caráter excepcional” a substituição de aulas presenciais por aulas do modelo educação a distância (EAD). Por isso, mesmo as instituições mais tradicionais e resistentes a EAD aderiram à modalidade para garantir o cumprimento dos duzentos dias letivos exigidos em lei.

Pelo computador ou dispositivo móvel, alunos têm acesso a vídeos, apresentações explicativas de slides, respostas de dúvidas por e-mail e até aula on-line ao vivo. Essa novidade reforça a importância da Educação A Distância, modalidade que também é escolha daqueles que almejam se qualificar no período de isolamento.

A mestre em Educação e Contemporaneidade, pela Universidade do Estado da Bahia (Uneb), Cíntia Dantas, 31, está no 4º semestre de Pedagogia EAD, na Uninassau, e destaca que um dos maiores desafios de quem estuda por EAD é manter a disciplina. “É preciso ficar atento ao comportamento pessoal para não cair na armadilha de se atrapalhar com os estudos. Tem que ter muita disciplina porque o fato de ter o tempo que quiser para fazer as atividades, às vezes, atrapalha porque você vai deixando para a última hora”, alerta.

Fonte: Agência Educa Mais Brasil